Pesca predatória e mineração são temas discutidos no terceiro Ciclo coletivo do Engaja Mundo

13 de dezembro de 2018 por Samela Bonfim

A partir deste terceiro encontro, os jovens estarão preparados para os próximos cinco ciclos que marcam as ações dos ativistas por uma sociedade mais justa e igualitária

Mais uma jornada inicia nesta sexta feira (14) para as lideranças comunitárias jovens que discutirão por três dias na Escola da Floresta – em Alter do Chão – a importância de uma comunicação adequada na luta pelos próprios direitos.

Nesta etapa 29 jovens Indígenas moradores de aldeias localizadas no Açaizal , Itaquara, São Francisco e Maró vão repensar as ações que serão implementadas para buscar melhorias da pesca predatória , resíduos sólidos, madeireiras e mineração.

O público participante é diretamente impactado por problemas ocasionados por grandes obras, extração de minério e madeira, além do agronegócio. Para o integrante da coordenação do Ciclo de Formação, Walter Oliveira o momento é de reorganizar as ações que buscam apresentar soluções: “e decidir como as  lideranças da comunidade buscarão melhorias sobre essas questões” – explica.

A formação é uma parceria do Projeto Saúde e Alegria com a organização de liderança jovem Engajamundo, sem fins lucrativos que promove formações, mobilização e ações de ativismo, com foco ao empoderamento da juventude para reivindicar melhorias em diversas esferas de poder.

Serviço

Quando? Dias 14, 15 e 16 de dezembro – de sexta a domingo

Onde? Escola da Floresta, rodovia Everaldo Martins – Alter do Chão em Santarém

Deixe um comentário

*