Indígenas recebem capacitação para monitorar qualidade da água com microscópio

17 de janeiro de 2019 por Samela Bonfim

Moradores da comunidade Aracampina no rio Amazonas e aldeia Solimões no rio Tapajós já monitoram o processo migratório de peixes na região. Agora estão recebendo capacitações para analisar a qualidade da água em pontos estratégicos

Entusiasmados, os jovens integrantes do Programa Ciência Cidadã na região oeste do Pará conheceram esta semana um novo instrumento de pesquisa: o microscópio de papel ultraacessível.

Portátil, durável e com qualidade ótica semelhante aos microscópios convencionais (ampliação de resolução de 140X e 2mícrons), o Foldscope possibilita aos estudantes o acesso à ciência, e incentiva a exploração científica, nesse caso à populações tradicionais da Amazônia.

Os jovens cientistas desenvolvem desde o ano passado, pesquisas com o uso de tecnologias. O aplicativo Ictio – desenvolvido para o monitoramento do processo migratório de peixe foi a primeira tecnologia usada por eles: “pra mim tem sido muito importante participar desse projeto. Conheci várias espécies de peixes que eu não conhecia” – destacou o estudante Gilvan Coelho, morador da comunidade Aracampina.

“Não é difícil. Eu aprendi bastante o que eu não sabia. E a gente está aprendendo a manusear uma nova tecnologia” – explicou Mariane franco da aldeia Solimões sobre o contato com o microscópio que analisa dentre outros microrganismos, a qualidade da água.

No encontro realizado nos dias 15 e 16 de janeiro, os professores responsáveis pelo projeto nas comunidades receberam o Kit Individual que Inclui ferramentas para coleta de amostras, preparação de slides e técnicas avançadas de microscopia, além do Kit de sala de aula ideal para educadores e projetos que procuram atender a grupos de exploradores.

“Uma inovação, principalmente nas comunidades ribeirinhas. É um equipamento diferente, de baixo custo que a comunidade pode medir índices que podem ser suspeitos à saúde dentro da sua própria comunidade” disse o gestor de tecnologia do Projeto Saúde e Alegria, Arivan Vinente.

A intenção é que amostras de água de rios e lagos sejam coletadas, principalmente nas áreas de pesca. Com isso, os moradores terão acesso a informação sobre a qualidade do liquido e dos ambientes onde vivem espécies especificas consumidas na região.

“Pela primeira vez estamos tendo acesso a uma ferramenta de inclusão cientifica. Acredito que na nossa região, somos privilegiados por sermos os primeiros a usar a ferramenta cientifica avançada”, afirmou o biólogo da Sapopema Fábio Sarmento.

Com capacitações, os estudantes das regiões indígenas e ribeirinhas estarão cada vez mais preparados para disseminar o conhecimento sobre ciência prática aos demais moradores. “Depois de sete meses de uso do aplicativo os jovens que participam diretamente têm hoje uma maior facilidade, porque aprenderam muito. Estão aprendendo as atualizações do programa  que acabam dialogando com os problemas da comunidade” – reforçou a professora da Ufopa, Socorro Pena. 

“Esses jovens ribeirinhos tem a possibilidade de ter o microscópio com uma função além do necessário da comunidade. Eles vão ser o diferencial. Com a inserção dessa nova tecnologia o professor vai ter o processo prático. Antes o professor tinha apenas o livro” – ressalta a arteeducadora do Projeto Saúde e Alegria, Elis lucien.

Projeto Ciência Cidadã Para Amazônia

Gerido pelo Wildlife Conservation Society (WCS) o projeto se propõe a apresentar solução para construir uma rede de organizações e pessoas que gerem informações sobre peixes e águas na escala da bacia, utilizando abordagem participativa e tecnologias inovadoras de baixo custo.

No Pará, as únicas comunidades integrantes da pesquisa são Aracampina e Solimões através da parceria entre Sapopema, Saúde e Alegria e WCS.

Uma das tecnologias utilizadas para o levantamento das informações é o aplicativo Ictio que permite monitorar a captura de peixes e ajudar a compreender os padrões de migração das espécies.

A comunidade cientifica poderá usar a informação gerada para expandir o conhecimento existente sobre a ecologia dos peixes e dos sistemas aquáticos da Amazônia para ações de conservação, por meio da incidência em políticas públicas.

| Ascom Saúde e Alegria

Aviso de Errata nº 01 da Chamada Pública n° 01/2018

10 de dezembro de 2018 por Paulo Lima
O Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental torna pública a ERRATA Nº 01 DO EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA n° 01/2018 para a seleção e contratação de entidades privadas sem fins lucrativos, credenciadas pelo MDS, para a implantação de tecnologias sociais de acesso à água, no âmbito do Programa Cisternas, observadas as disposições legais do edital.

Baixe aqui: http://bit.ly/2EaIQvn

A errata da chamada encontra-se disponível também no SICONV.

Davide Pompermaier

Acesso a Água / Saneamento / Energias Renováveis

Turismo de Base Comunitária / Artesanato da Floresta

Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental
PROJETO SAÚDE & ALEGRIA – Santarém, Pará, Amazônia

Seleção de entidades para Programa de acesso à água

26 de novembro de 2018 por Paulo Lima

 

Foto Silvanei Rodrigues

                         Foto Silvanei Rodrigues

CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS DE PROMOÇÃO SOCIAL E AMBIENTAL

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA N° 02/2018

O Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental torna público EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA n° 02/2018 para a seleção e contratação de entidades privadas sem fins lucrativos, credenciadas pelo MDS, para a implantação de tecnologias sociais de acesso à água, no âmbito do Programa Cisternas, observadas as disposições legais do edital.

O Edital na íntegra encontra-se disponível também no SICONV.

Informações adicionais: davide@saudeealegria.org.br – Tel.: (93) 3067-8000

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA n° 02/2018: http://bit.ly/2SeT0P9

Anexo A: http://bit.ly/2QhkWVs

Anexo B: http://bit.ly/2QihwBW

Anexo C: http://bit.ly/2zqGs0r

Anexo D: http://bit.ly/2KwlZeK

Anexo E: http://bit.ly/2ApUoav

Anexo F: http://bit.ly/2Se983A

Rodrigo José de Sampaio Leite Filho

Presidente do Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental 

Água potável chega a aldeias indígenas e comunidades ribeirinhas: conheça o Cisterna

21 de novembro de 2018 por Samela Bonfim

Programa desenvolvido através da chamada pública do governo federal por meio do Ministério do Desenvolvimento Social do Programa Nacional ‘Cisterna’ de apoio a captação de água da chuva e outras tecnologias sociais de aceso a água é coordenado pelo Projeto Saúde e Alegria em Santarém e executado pela Asproc, Sapopema e Somec

Em pouco tempo mais de 600 famílias receberão as tecnologias nas regiões da Flona, Várzea e Lago Grande. Desde maio de 2018, quando foi feita a assinatura do programa os moradores das áreas beneficiadas pelo projeto vivem a expectativa de dias melhores com a instalação de sistemas de captação da água e construção de sistema de saneamento.

Os serviços são executados por três instituições contratadas para atuar em diferentes regiões: Nas aldeias Taquara e Bragança e Comunidades Pini, Marae e Acaratinga – localizadas na Flona a responsabilidade é da Asproc que já começou a entregar as primeiras tecnologias em uma cerimônia simbólica neste sábado (17).

Na várzea os serviços são feitos pela Sociedade Para Pesquisa e Proteção do Meio Ambiente – Sapopema – que desenvolve nas comunidades Urucurituba, Aramanai, Igarapé do costa e Correio do Tapará as construções de um Sistema Pluvial Multiuso Comunitário para implantação de redes de abastecimento de água em comunidades rurais e o Sistema Pluvial Autônomo que vai atender famílias isoladas.

Na região do Lago Grande as construções de sistemas de abastecimento de água com calha e caixa d’agua de mil litros em cada residência estão na fase inicial e é de responsabilidade da Somec.

Segundo o coordenador do Programa de Saneamento Comunitário do Projeto Saúde e Alegria Carlos Dombroski as unidades já começaram a ser entregues e em pouco tempo todos os beneficiados terão em casa acesso à água limpa de maneira prática: “É de extrema importância porque são comunidades isoladas, principalmente na várzea. A gente sabe do liquido que essas famílias consomem. Mediante essa implantação vamos estar levando uma água pura para essas famílias” – explica.

Em algumas comunidades, a falta de saneamento é tão grave que já resultou na morte de moradores. “ – Por exemplo, a Aldeia de Taquara, perdeu nesses últimos três anos doze pessoas. E tem a suspeita de que algumas dessas [mortes]  foi em função do consumo da água, porque eles consumiam direto do rio, igarapé e poços rasos. E o sistema de água agora é moderno, com água em todas as casas, tecnologia de captação e energia solar”.

As comunidades e aldeias contempladas são isoladas dos centros urbanos. Na várzea a constante dinâmica de cheia e baixa da água influencia na qualidade do liquido. Em Igarapé do Costa, comunidade da várzea a dificuldade começa na coleta da água no verão, quando o rio fica distante das residências. Para o pescador Waldir Rego os integrantes das famílias contempladas estão contando os dias para mudar a qualidade de vida. Com o sistema de captação da água da chuva, e instalação de banheiros, terão mais dignidade e um pouco menos de esforço físico no transporte de água: “a água a gente pega do rio, leva pra casa e coloca numa caixa que é puxada a mão e a gente ‘bota’ pra filtrar. Cada casa tem um biofiltro. Se viesse direto do rio não teria condição, é barrenta demais

” – destaca.

Esse processo de filtragem para diminuir a concentração de impurezas ocorre após um longo processo que começa com a coleta. O ribeirinho revela que leva 45 minutos para fazer o percurso de aproximadamente 250 metros. Com o sistema de encanamento da água coletada da chuva, os dias dedicados ao transporte do carote no ombro terão fim. “A gente vai ficar mais tranqüilo. Eu  com uma expectativa muito grande e vai ser muito bom para as famílias”.

Sobre o Programa Cisterna

Em maio de 2018 foi feita a assinatura do programa que faz parte da chamada publica do governo federal por meio do Ministério do Desenvolvimento Social do Programa Nacional ‘Cisterna’ de apoio a capacitação de água da chuva e outras tecnologias sociais de aceso à água.

O objetivo é realizar ações de captação de água e promover saneamento, uma vez que os moradores dessas áreas contempladas, não tem nenhum sistema de abastecimento. Em Santarém o programa é coordenado pelo Projeto Saúde e Alegria e executado pelas Organizações Não Governamentais Sapopema, Asproc e Somec.

Resultado final do Edital de Chamada Pública 01/2018

24 de maio de 2018 por Paulo Lima

RESULTADO FINAL DO EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 01/2018

O Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental torna público o RESULTADO FINAL do EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA n° 01/2018 para a seleção e contratação de entidades privadas sem fins lucrativos, credenciadas pelo MDS, para a implantação de tecnologias sociais de acesso à água, no âmbito do Programa Cisternas, observadas as disposições legais do edital.

Lote 01, 02, 03, 04, 05, 06 e 08– 1ª classificada, Sociedade par Pesquisa e Proteção do Meio Ambiente – SAPOPEMA.

Lote 07 – 1ª classificada, Sociedade, Meio Ambiente, Educação, Cidadania e Direitos Humanos – SOMECDH.

O resultado já foi publicado no DOU do dia 23 de maio de 2018, Nº 98, seção 3, página 172.

Não tendo recebido recursos no prazo estabelecido, o CEAPS convoca as entidades primeiras colocadas em cada lote para a assinatura dos contratos.

Cópia de toda a documentação apresentada e do quadro de resumo da avaliação estão disponíveis no SICONV e aqui: https://drive.google.com/drive/folders/1ioRM1lbsr5U7zmN4mUpVZ6R-YnzvtFl4?usp=sharing

Informações adicionais: adriana@saudeealegria.org.br Tel.: (93) 3067-8000

Santarém, Pará, 21 de maio de 2018

Rodrigo José de Sampaio Leite Filho
Presidente do Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental

Sai resultado preliminar do Edital de Chamada Pública de Tecnologias Sociais

15 de maio de 2018 por Paulo Lima

RESULTADO PRELIMINAR DO EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 01/2018

O Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental – CEAPS, inscrito no CNPJ sob o número 55.233.555/0001-75, com sede na Avenida Mendonça Furtado, 3979, Bairro Liberdade, Município de Santarém, Estado do Pará, doravante denominado CEAPS, tendo em vista o constante no processo administrativo n.º 71000.081610/2017-09 e no Termo de Colaboração nº 044/2017-SESAN, torna público o resultado preliminar do EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA para a seleção e contratação de entidades privadas sem fins lucrativos para a implementação de 567 tecnologias sociais, divididas em 8 lotes.

Veja o resultado aqui:

https://drive.google.com/file/d/1kFXOxzGoIITEt52sUI5SJa064zzfDhx7/view?usp=sharing

Toda documentação relativa está disponível no SICONV e aqui:

https://drive.google.com/drive/folders/1EaKcYet8Skq2JKKOJ_vbDKw1FvG3HkNL?usp=sharing

 

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA N° 01/2018

23 de março de 2018 por Paulo Lima

O Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental torna público EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA n° 01/2018 para a seleção e contratação de entidades privadas sem fins lucrativos, credenciadas pelo MDS, para a implantação de tecnologias sociais de acesso à água, no âmbito do Programa Cisternas, observadas as disposições legais do edital.
 
O Edital na íntegra encontra-se disponível no site: www.saudeealegria.org.br e no SICONV.
 
EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA n° 01/2018: https://goo.gl/FNuD2h
 
 
Informações adicionais: adriana@saudeealegria.org.br Tel.: (93) 3067-8000
 
Rodrigo José de Sampaio Leite Filho
Presidente do Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental