Teatro, música e carimbó marcam segunda noite da Feira Cultura Digital

9 de abril de 2010 por Fábio Pena

A noite de ontem (08) foi intensa na programação da Feira de Cultura Digital dos Bairros e Comunidades, no bairro do Santarenzinho. Prestigiados por um público caloroso de mais de 700 pessoas, os cantores calouros tiveram a oportunidade de subir no palco para mostrar seu talento.

O objetivo da programação cultural foi exatamente essa: valorizar a arte e a cultura presentes na grande área do Santarenzinho. Esta região da cidade, de onde muitas vezes ouvimos notícias ruins relacionadas à violência e outros problemas sociais, estereotipados na mídia comercial, foi vista, filmada e fotografada sob um ângulo diferenciado, mostrando as pessoas e seus talentos. “Santarenzinho com orgulho”! Assim gritou o jovem José Antônio Neto, ao começar sua apresentação.

A noite começou com a apresentação teatral do grupo da Casa Brasil, com a peça “deu a louca nos contos de fada”, com um simpático curupira que tentava salvar a floresta, encantando a criançada.

Depois seguiram-se 16 apresentações de calouros que interpretaram desde músicas conhecidas da MPB até canções evangélicas, numa diversidade entre crianças, jovens e adultos. “Essa feira está sendo maravilhosa para nós, porque está dando oportunidade de mostrarmos nosso talento. Meu sonho é cantar assim para um público grande”, disse a cantora mirim Sara Santiago.

Um juri composto por músicos de Santarém e outras regiões do Brasil ficou responsável de eleger os melhores calouros da noite que vão ganhar como prêmio a gravação de seu primeiro CD, através do Pontão de Cultura Digital do Tapajós.

E quando a noite parecia ter terminado, ainda teve a Banda Consciência Roots, jovens talentos que “mostraram que debaixo da floresta da gente também tem reggae”, afirmou o animador Magnólio de Oliveira. E onde a cultura digital entre nessa história? Os meninos da Consciência Roots são os mesmos que estão realizando experimentações musicais com cantores populares utilizando as tecnologias digitais com software livre para gravar o novo CD do Pontão Tapajós.

Mas o reggae logo deu espaço para o ritmo tradicional paraense, o carimbó. O Grupo Bailado de Carimbó do Bairro da Conquista, realmente conquistou mostrando nossas raízes culturais e encerrando mais uma noite da feira.

Deixe um comentário

*