Vagas para trabalhar no Projeto Saúde e Alegria

6 de setembro de 2018 por Fábio Pena

O Projeto Saúde e Alegria está contratando profissionais para atuar em seu novo projeto Floresta Ativa, que será apoiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, com recursos do Fundo Amazônia.

São três vagas:

1 Coordenador (a) do Programa Floresta Ativa;

1 Gestor (a) do Centro Experimental Floresta Ativa – CEFA;

1 Gestor (a) Executivo (a) do Programa Floresta Ativa

Veja os editais nos links abaixo:

Seleção Coordenador FA 2018

Seleção Gestor do CEFA 2018

Seleção Gestor Executivo floresta ativa 2018 (1)

 

Projeto Ciência Cidadã para a Amazônia nas comunidades de Aracampina e Aldeia Solimões

24 de julho de 2018 por Elis Lucien

O Projeto Ciência Cidadã para a Amazônia irá implementar um local piloto para testar a abordagem de ciência cidadã, utilizando o aplicativo Ictio envolvendo escolas de comunidades tradicionais, integradas em um programa de educação ambiental ou de ciência, em que professores e alunos monitorem a diversidade de peixes catalogados nessa etapa pelos pescadores e pescadoras selecionadas.

O projeto será realizado de Maio a Dezembro nas Bacias do Tapajós e Amazonas em parceria com alunos, professores, pescadores e pescadoras das comunidades de: Aracampina que fica localizada no Projeto de Assentamento Ituqui (PAE-Ituqui), às margens do rio Amazonas, com seus 260 habitantes, com 16 lagos e 3 igarapés e a Aldeia Solimões localizada na margem esquerda do Rio Tapajós afluente do rio Amazonas, na Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns que é uma das maiores Unidades de Conservação no Brasil.

A Sociedade para a Pesquisa e Proteção do Meio Ambiente (SAPOPEMA), Projeto Saúde e Alegria (PSA) e outras Instituições convidadas durante seis meses irão incentivar o engajamento de jovens e moradores no monitoramento dos recursos pesqueiros da região e ajudar a formar uma nova geração de lideranças comunitárias comprometidas com a conservação dos recursos pesqueiros.

No último 20, o lançamento ocorreu em Aracampina na sala da Escola São Sebastião com a presença de lideranças, diretor, professores, alunos que falaram da importância desse projeto na área ambiental para aquela região, pois já havia algum tempo um projeto desse porte na área de várzea. Na aldeia Solimões o Cacique Lenoir deu as boas vindas a equipe no Barracão Comunitário falando da parceria com o Projeto Saúde e Alegria que já atua na região a 30 anos, trazendo projetos para desenvolvimento comunitário partindo da realidade local oportunizando as futuras gerações dentro de cada comunidade que atua.

 

 

Chamado da Floresta traz governo para falar com extrativistas e tem protesto indígena

3 de novembro de 2015 por Patrícia Kalil

As reivindicações dos povos da floresta no Brasil e a importância do desenvolvimento sustentável na Amazônia

“No começo pensei que estivesse lutando para salvar seringueiras, depois pensei que estava lutando para salvar a Floresta Amazônica. Agora, percebo que estou lutando pela humanidade”. — Chico Mendes

Patrícia Kalil
— especial para Rede Mocoronga

fimdatarde1Embarcações que levaram participantes para o III Chamado da Floresta no pontão de areia da comunidade de São Pedro, na Resex Tapajós-Arapiuns.

“Como movimento extrativista, não queremos marchar até Brasília, queremos que Brasília marche até a floresta. O que os olhos veem, o coração sente” — Joaquim Belo, presidente CNS

A oito horas de barco de Santarém, o III CHAMADO DA FLORESTA reuniu cerca de 2 mil lideranças amazônicas, além da juventude ribeirinha, para debater reivindicações sobre as condições extrativistas e a importância do fortalecimento e resistência das famílias que vivem na floresta para a conservação do meio-ambiente.

O encontro organizado pelo Conselho Nacional de Populações Extrativistas (CNS) aconteceu dentro de uma das maiores unidades de conservação do país, a Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, na Amazônia paraense, representando o grito de 1 milhão de brasileiros e cerca de 150 mil famílias extrativistas que pedem pelo reconhecimento de assentamentos como áreas protegidas, com plano de manejo florestal comunitário e familiar, políticas de geração de renda com crédito para uso sustentável, processamento e distribuição de diversos produtos amazônicos, políticas de educação técnica-profissionalizante e superior voltada para a floresta, certificação especial, além das demandas básicas para infraestrutura de abastecimento, esgoto, coleta de lixo, energia e comunicação/internet.

Diversos políticos estavam presentes, entre eles prefeitos de municípios do oeste do Pará, além de secretários e técnicos de cinco ministérios e ministros.

ministraterezacampelloMinistra Tereza Campello do Ministério do Desenvolvimento Social na comunidade de São Pedro, da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, durante o evento

“Meu primeiro recado é que não aceitamos hidrelétricas no Tapajós. Nós queremos nossa floresta em pé e embaixo dessa floresta existe gente” — Auricelia Arapiun, líder do Movimento Indígena na mesa com ministros

Tapando os ouvidos ao recado dado pelas lideranças indígenas presentes no encontro, Tereza Campello, ministra do Desenvolvimento Social (MDS), abriu seu discurso dizendo que os povos da floresta não podem ser tratados como invisíveis e que essa é uma luta histórica hoje reconhecida pelo governo. Como o mesmo governo que ignora consecutivos desastres socioambientais com a construção de hidrelétricas na Amazônia (um, dois, três, quatro…) se diz atento às demandas desses povos que nascem, crescem e vivem há séculos com a cultura da floresta? Como o mesmo governo que impulsiona e dá força à mineração, ao agronegócio e à agropecuária na Amazônia se diz ao lado do pequeno produtor, da biodiversidade e do desenvolvimento sustentável?

Sem dar luz a assuntos polêmicos ou falhas do governo na gestão e proteção dos recursos naturais e florestais, a ministra falou sobre a importância estratégica do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e de incentivo à agricultura familiar nas reservas extrativistas.

Na mesma mesa, a secretaria executiva do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Maria Fernanda Coelho, falou sobre a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) na Amazônia e recursos federais para agroindustrialização de negócios de geração de renda na região.

alexandrevonNo microfone, Alexandre Von (PSDB), prefeito de Santarém. À esquerda, o Secretário de Desenvolvimento Rural Sustentável e Extrativismo do Ministério do Meio Ambiente, Carlos Guedes. À direita, o presidente da CNS, Joaquim Belo, a vice-presidente do CNS Edel Moraes e o presidente do ICMBio, Claudio Maretti.

plateiaPrefeita Dilma Serrão (PT) no Chamado da Floresta. Outros prefeitos também estavam no público.

PEC215 e Hidrelétricas no Tapajós

coverCacique Emanoel Abraão da Aldeia Muratuba, durante III Encontro da Floresta

“Temos um sol maravilhoso, não precisamos de barragem. Chega de matança dos povos indígenas e lideranças dos povos da floresta. O governo não faz nada para amenizar a situação da gente” — Auricelia Arapiun, líder do Movimento Indígena

O encontro começou um dia depois da bancada ruralista conseguir a primeira aprovação da PEC215 na Câmara de Deputados para alterar a Constituição e dar ao Congresso a atribuição de definir Terras Indígenas, Unidades de Conservação e quilombos, além de permitir empreendimentos econômicos nessas áreas.

As lideranças indígenas presentes no encontro manifestaram-se para pedir reconhecimento e demarcação de terras, falar em nome dos Guarani-Kaiowá do Mato Grosso do Sul, dos Guajajara e Awá-Guajá do Maranhão, dos Araweté, Assurini, Kayapó, Kraô, Apinajés, Gavião, Munduruku, Arara, Xipaya, Xicrin, Juruna, Guarani, Tupinambá, Tembé, Ka’apor, Tupinambá, Tapajós, Arapyun, Maytapeí, Cumaruara e Karajas, representando populações indígenas que sofrem com a tragédia de Belo Monte e outras populações ameaçadas por projetos hidrelétricos na Amazônia.

Sem citar a questão indígena, Cláudio Maretti, presidente do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), defendeu a importância da criação das reservas extrativistas de uso sustentável no país, mas lembrou que a gestão delas só é possível com a participação das famílias que vivem em cada uma delas.

indigenas1Contra a PEC215 e a construção de hidrelétricas no Tapajós

indigenas

Contra a PEC215 e a construção de hidrelétricas no Tapajós

ONGs atendem ao chamado

Diversas ongs estavam presentes no evento, entre elas o Projeto Saúde e Alegria (PSA), que tem forte atuação na Resex Tapajós-Arapiuns. Além da presença da trupe do circo, jovens da rede de jornalismo comunitário da Rede Mocoronga fizeram a cobertura em vídeo e rádio do evento, que foi ao ar na Rádio Rural AM (http://www.radioruraldesantarem.com.br/). Na página do Facebook do projeto, também é possível acompanhar vídeos feitos pelos jovens da comunidade: https://www.facebook.com/saudeealegria/?fref=ts.

grancircoA equipe de arte educadores e circo do Projeto Saúde e Alegria, que tem mais de grande atuação na Reserva Tapajós-Arapiuns

Grupos de trabalho durante III Chamado


professoresOs professores do Sistema Modular de Ensino Médio Ilana Melo de Souza e Eder Clay Araújo no evento

Durante a primeira tarde do encontro, os participantes se dividiram em grupos de trabalho temáticos para levantar propostas que serão enviadas ao governo federal na próxima semana. Acompanhe abaixo um resumo das propostas debatidas em cada grupo de trabalho.

Políticas agrárias

Os participantes levantaram a necessidade de regularização fundiária imediata das unidades de conservação e reversas extrativistas para combater a violência no campo; o encaminhamento dos processos de criação de novas reservas que estão praticamente concluídas no ICMBio e INCRA; o reconhecimento de territórios tradicionalmente ocupados; a agilização de planos de manejos comunitários e elaboração dos planos de uso; a fiscalização para evitar invasão e proteção dos povos da floresta ameaçados por fazendeiros e madeireiros; a promoção de um programa de incentivo ao ecoturismo de base comunitária em unidades de conservação de uso sustentável.

Geração de Renda

Os participantes pediram a criação urgente de políticas públicas para a produção extrativista em vez de incluir a população extrativista dentro da políticas para a agricultura familiar. Também foi levantada a necessidade de uso de incentivo fiscal e possibilidade de um sistema de registro e monitoramento da produção pelas próprias populações extrativistas que possa servir como certificação.

Educação

Os professores do Sistema Modular de Ensino Médio fizeram severas críticas à infraestrutura pública para o ensino de jovens nas reservas, dizendo que falta a parceria das prefeituras para sala de aulas adequadas no ensino médio. Também foram pedidos a inclusão de educação ambiental como matéria obrigatória no ensino básico; um modelo de “pronatec extrativista” para as populações de reservas; a realização de vestibulares e exames nacionais adaptados para os conhecimentos da floresta de modo a valorizar e incluir a juventude ribeirinha no ensino superior; extensão de polós universitários em reservas evitando que o jovem deixe sua comunidade e vá para cidade e implantação de telecentros comunitários que funcionem e com banda larga em todas as comunidades.

Gestão de unidades de conservação

Além da reivindicação pela criação de conselhos deliberativos em todas as unidades, extrativistas pediram participação das comunidades na elaboração dos planos de manejo e gestão. Os participantes exigiram mais fiscalização do ICMbio para combater a ação de madeireiros, grilheiros e pistoleiros, principalmente frente às ameaças de morte sofridas por líderes extrativistas e indígenas. Listaram também a necessiadade de um canal de denúncias da exploração de madeira ilegal através de rádio-telefone-internet.


Salve São Pedroabre2

Acompanhar todas as atividades exigiu dos participantes coragem para enfrentar o sol e a distância das caminhadas de ponta a ponta do vilarejo para ir ao galpão de eventos à área com embarcações-dormitórios.

O corre-corre de milhares de pessoas chamava atenção. Os moradores de São Pedro receberam com alegria todos os visitantes e abriram as portas de suas casas para quem precisasse de ajuda.

O questão do lixo em Santarém

Para receber mais de 2 mil pessoas, a prefeitura de Santarém enviou uma equipe de coleta de lixo para a comunidade. Mesmo assim, faltou orientação sobre o local adequado para lavar as lixeiras longe dos banhistas participantes.

Questionado no fim do evento sobre o problema de coleta de lixo em áreas de proteção ambiental, o prefeito Alexandre Von disse que precisa de mais trabalho na área e que sabe do problema do lixo de todas os distritos e comunidades de Santarém.

lixeiros

escovandodentes

No fim da tarde, os lixeiros da prefeitura de Santarém deslocados para o evento lavavam as lixeiras no rio em que os visitantes se banhavam…

2ª Edição do Beiradão de Oportunidades

15 de junho de 2015 por Lilian Campelo

cartaz2_leve

Agora é a vez dos jovens que moram em Santarém

A segunda edição do Beiradão de Oportunidades começa dia 24 e vai até o dia 27. Nessa edição a proposta é convidar os jovens que são de comunidades ribeirinhas, mas que moram na cidade.

As inscrições para participar do Beiradão iniciam nessa segunda-feira, dia 15, e podem ser feitas na sede do Projeto Saúde e Alegria que fica na Av. Mendonça Furtado, 3979, Liberdade.

Como o próprio nome já diz, o evento será uma oportunidade para que muitos jovens possam desenvolver e aprimorar a criatividade para a geração de ideais, para isso durante quatro dias serão realizadas atividades que irão estimular sua energia criativa direcionada a encontrar soluções inovadoras aos problemas existentes em suas comunidades, utilizado a tecnologia como ferramenta para empreendedorismo social.

Curso

Este ano o curso Jovens Empreendedores do Tapajós terá duas turmas, uma para os jovens que moram nas comunidades e outra destinada para os que são de comunidades ribeirinhas, mas que moram em Santarém. O curso é um projeto apoiado pela Fundação Telefônica e Saúde e Alegria.

O curso é dividido em dez módulos com carga horária de 20hs semanais que ocorrem de quinta à sexta-feira de 8hs às 12hs e das 14hs às 18hs; aos sábados de 9hs às 12hs. As aulas incluem assuntos ligados ao universo do empreendedorismo como gestão de negócios, aplicativos móveis, publicidade e marketing, ferramentas tecnológicas, entre outros.

SERVIÇOS

DATA: 24 a 27 de junho

LOCAL: Auditório Boulevard – UFOPA

INSCRIÇÕES: Sede do PSA Av. Mendonça Furtado, 3979, Liberdade.

PARA MAIS INFORMAÇÕES: 93 3067 8000 / 93 9 9149 4801

Um olhar sobre o que foi o Beiradão de Oportunidades

22 de maio de 2015 por Lilian Campelo

Estwhatsapp-emotions-reais-11e é um pequeno relato publicado no grupo Teia Cabocla do WhatsApp pelo jovem Bruno Vasconcelos pós Beiradão.

Um breve resumo do que foi o evento para ele.

👭👫👫👭O que Falar do Beiradão de Oportunidades ❓

Evento Este Realizado na Chácara A&C 🏡
👭👫Particularmente  encontrei  pessoas  que ainda não conhecia , jovens que fiz amizades e vou ter um carinho especial sempre.
Foi muito massa ter conhecidos todos.😂😂💃👫

Enfim foi tudo de bom

👯 Dancei
😮🎶Cantei
👫Desfilei
👏💃Brinquei

Mas o que mais me deixou feliz , foi poder ver o brilho dos olhos destes jovens que refletiam uma força de vontade de ir em busca de seus sonhos e apesar das dificuldades mostraram que podem e que são capazes de ser os protagonistas do seu próprio futuro e de suas comunidades 😂😍👭👫 que não mediram esforços para chegarem até o Beiradão , digo que todos são vencedores, guerreiros, que independente de qualquer resultado continuarão nas suas lutas em busca de seus objetivos. 👭👫👭

Parabéns jovens por vcs acreditarem em si próprio! Continuem assim e se tiverem que mudar que mudem pra Melhor.  👏👏🎊🎉

A Equipe do Projeto  Saúde & Alegria  está de Parabéns 😄😂😂👏 agradecemos o empenho de todos

👨Paulo Lima
👨Tinho
👨Bob
👨Gabriel
👨Maickson
👨Kenned
👩Elis Lucien
👩Dri Gama
👩Lilian Campelo
👩Sula Araújo

E todos os Colaboradores que participaram desse sucesso

Epah! epah!
Pera ai faltou falar daquelas  que arrebentaram incansavelmente no Cardápio que estava ótimo
👩🍴☕🍗🍖

👩Dona Val
👩Dona Iraci
E aquelas que colaboraram na Cozinha 🍴🍛
Vcs são maravilhosas !
Parabéns👏🎉🎊

Que continuem nessa Batalha dando o Melhor de si para realizarem  o  Famoso Beiradão em Parceria com a Fundação Telefônica📱🏢

E os Facilitadores  valeu de coração pelos conhecimentos repassados e pela paciência e por terem acreditado no sucesso de nós Jovens!
👨Jotta Neto
👨Fabio Brito
👩Drí Dalbert

Sucessos Sempre!

Jovens ribeirinhos participam de oficina de Jornalismo Cidadão em Santarém

13 de março de 2015 por Adriane Gama

ofic_midiativismo

As oficinas de Jornalismo Cidadão e Tecnologias Livres para jovens e lideranças das comunidades ribeirinhas da Reserva Extrativista Tapajós Arapiuns (Resex) e Floresta Nacional (Flona) têm como ojetivo fomar monitores para acompanhar a qualidade da água nestas localidades.

A primeira dessas oficinas foi realizada na Escola do Parque, no último dia 05, e faz parte de uma série que acontecerá em Santarém, na Resex e em Belterra. Realizada pela InfoAmazônia, em parceria com o Projeto Saúde e Alegria e Secretarias Municipais de Meio Ambiente, as oficinas visam implantar uma ação piloto de monitoramento da qualidade da água, prevista para acontecer em julho, e assim identificar pessoas que estejam interessadas em representar suas comunidades.

A oficina, mediada pelo jornalista Giovanny Veras e pelo pesquisador Ricardo Guimarães, ambos do InfoAmazônia, teve suas atividades divididas em duas partes.

Pela manhã, houveram diálogos sobre produções independentes de conteúdos jornalísticos. Midiativismo, tecnologias livres eofic_infoamazonia jornalismo cidadão foram temas convergentes para estimular a participação de cidadãos comuns, sem formação jornalística, do processo de coleta à veiculação das reportagens, produzindo assim, conteúdos em seus próprios blogs.

De acordo com Giovanny, o jornalismo digital pode ser uma das ferramentas que estimula e permite que moradores, jornalistas, pesquisadores, ongs e universidades possam gerar narrativas e compartilhar análises de dados. Assim, “cria-se mais conhecimento sobre os problemas e soluções na Amazônia”, ressalta o jornalista.

À tarde, o pesquisador Ricardo Guimarães apresentou a ideia central do projeto: aplicar um sistema de monitoramento da qualidade da água nas comunidades, onde cada sensor medirá oito parâmetros, como pH, temperatura e turbidez. Os jovens irão aprender a metodologia do trabalho desde a instalação dos kits das caixas módulos em reservatórios para medição, até como enviar dados e enfrentar desafios em casos de impossiblidades de conexão.

O técnico ainda ressalta que no final desse processo, um servidor da InfoAmazônia, após o recebimento desses dados em tempo real, irá conferi-los, gerando um índice sobre a característica da água. Caso algum sensor apontar uma situação potencial de contaminação, uma análise laboratorial será feita detalhadamente.

pratica_analise_aguaNa parte prática da oficina, a turma testou o parâmetro do pH de algumas amostras de água, utilizando o protótipo do sensor. No final do evento, os participantes receberam certificados e ficaram responsáveis de enviar notícias comunitárias para começar a alimentar as informações no site da InfoAmazônia e sites parceiros.

Para o participante Mauro Duarte, da comunidade de Maguari – Flona, esse projeto levanta a bandeira coletiva de luta pela mesma causa para chegar à uma mudança, e “através da conexão entre água e jornalismo, coloca os direitos e problemas relativos à qualidade da água, em evidência”.

A jovem Natalina Oliveira, da Vila de Boim, lembrou que “nós, da comunidade, temos medo de represália se fomos fazer denúncias, mas com esse projeto podemos ter mais segurança de repassar nossas noticias, corretas e verdadeiras, com uso de recursos de multimídia.”

*O projeto Rede InfoAmazonia é uma plataforma digital que agrega jornalismo e dados geográficos, produzindo mapas interativos e gráficos através de tecnologias livres com objetivo de difundir informações locais da Amazônia.

Fotos: Elis Lucien

Vai começar a Copa Floresta Ativa!

1 de abril de 2014 por Bob Barbosa

A Copa Floresta Ativa, de futebol, cultura e educação comunitária, começa nesta sexta e sábado, 04 e 05 de abril, na Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns.  A competição reúne 72 comunidades localizadas nos municípios de Santarém e Aveiro e objetiva promover a inclusão social através do esporte, numa realização do Projeto Saúde & Alegria, Tapajoara (Associação das Comunidades da RESEX Tapajós-Arapiuns) e ICMBio.

CopaFlor-ChamadaAnumã2

A primeira das quatro fases classificatórias, em suas modalidades esportivas e educativas, será em Anumã, margem esquerda do Tapajós, dias 04 e 05 de abril. As outras fases classificatórias, no final do mês e em maio, ocorrerão em Surucuá, São Pedro do Arapiuns e Vila de Boim.  A grande final será no mês de agosto, em comunidade a ser definida dentre as que estão se candidatando.

Uma tradição é recuperada: entre a década de 1990 e 2001 foram realizadas quatro edições da “Copa Três Rios” – referência aos três grandes da região: Amazonas, Tapajós e Arapiuns.  Em 2014, o Projeto Saúde & Alegria junta-se à Associação Tapajoara para promover a quinta edição dessa copa ribeirinha da Amazônia, voltada para as comunidades da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns.

O nome da Copa indica o tema deste ano: é o Programa Floresta Ativa, que agrega à esta RESEX diversos projetos que contribuem com a viabilidade econômica, social e ambiental das suas 74 comunidades, onde vivem 20 mil pessoas.  Através do programa estão sendo implantados o CEFA- Centro Experimental Floresta Ativa, os Viveiros Comunitários para reposição florestal e também a assistência técnica (ATER) voltada ao agroextravismo, visando melhorar produção e renda famíliar. Outras iniciativas, como programas pedagógicos em defesa dos direitos das crianças e jovens da RESEX, também estão sendo implantadas pelo Projeto Saúde & Alegria e parceiros.

Em todas as etapas, a Copa Floresta Ativa contempla duas competições simultâneas, integradas e voltadas para as comunidades da RESEX: uma é o torneio de futebol (masculino e feminino) e a outra é o Festival de Artes e Educação Comunitária, com exibição de vídeos, músicas, campanhas educativas, jornais e peças de rádio produzidas pelas comunidades, inspiradas no lema “Juventude e Comunidades juntas pela Floresta Ativa!”

Ao final de cada uma das etapas, o Gran Circo Mocorongo, conduzido pelo palhaço Magnólio, celebrará as 74 comunidades e suas seleções, vitoriosas principalmente por estarem se mobilizando pelo desenvolvimento, socialmente justo e ambientalmente sustentável, do território comum a todas elas: a Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns.

Mais informações sobre a Copa, ligue: Projeto Saúde & Alegria (93) 30678000, Paulo Lima (93) 9149-4801, Fábio Pena (93) 9152-9662 ou Tapajoara, através dos diretores Alexandre Imbiriba (93) 9209-8039 e Leônidas Farias (93) 9136-6797.

Criação de Conselho Tutelar contempla região de Rios

7 de janeiro de 2014 por Adriane Gama

criancas_ribeirinhasNo dia 23 de dezembro, na Prefeitura Municipal de Santarém, foi sancionado a criação do III Conselho Tutelar (CT) com abragência prioritária em 3 regiões na zona rural do município: rios Tapajós e Arapiuns e Eixo Forte, áreas consideradas com mais difícil acesso a cidade e de políticas públicas, concentrando reforço pontual de proteção às crianças e adolescentes nessas comunidades. O novo conselho será sediado na Vila balneária de Alter do Chão, pela questão local da vulnerabilidade social.

Segundo o prefeito Alexandre Von, a consolidação de um conselho para estas regiões aconteceu devido, neste ano, ser criado um CRAS ribeirinho com uma caravana que levará serviços prestados de assistência social, educação e saúde para as comunidades ribeirinhas, desde a aquisição do cartão SUS, passe livre para idosos até as ações do Conselho Tutelar. No primeiro bimestre de 2014, inclusive, os membros do III Conselho Tutelar estarão atuando dentro e fora da área prioritária de trabalho.

É importante ressaltar que de acordo com a resolução 139 da Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), para cada 100 mil habitantes deve ser instituído um Conselho Tutelar. Além de assegurar esta demanda da lei, a efetivação do III Conselho representa um acontecimento inédito, pois será o primeiro fora da área urbana nesta região. O Comdca (Conselho Municipal dos Direitos das Criança e dos Adolescentes) irá acompanhar e fiscalizar o Conselho Tutelar III, assim como acontece com os conselhos existentes em áreas distintas na cidade.

Leia o resto desse post »

IV Encontro dos Jovens Empreendedores do Tapajós

28 de novembro de 2013 por Adriane Gama

jovem_mapa

Começou no auditório do Projeto Saúde e Alegria, o IV Encontro dos Jovens Empreendedores do Tapajós, com o apoio da Telefônica/Vivo, seguindo até dia 30 de novembro. A oficina da vez é sobre Desenvolvimento do Plano de Negócio facilitado pelo consultor de empreendedorismo e negócios, Gustavo Torres Fonseca.

Conteúdos como competências e habilidades de um empreendedor, ferramentas e métodos de planos e simulações de ambientes de negócios são pontos principais desse evento. No início da manhã, o coordenador de inclusão digital do PSA, Paulo Lima abriu o encontro com informes e agendamento para os últimos encontros do curso.

Na ocasião, Lu Scuarcialupi, coordenadora do projeto Conexão Amazônia – Telefônica/Vivo também participa dessa oficina, dialogando com 22 jovens moradores da área urbana da cidade e das comunidades ribeirinhas.

O objetivo da oficina é preparar estrategicamente os planos de negócio dos jovens e por conseguinte, orientá-los na avaliação de pitch (uma apresentação de 3 a 5 minutos com objetivo de despertar o interesse de um investidor ou cliente pelo negócio), utilizando recursos presentes, através de exercícios e práticas de apresentação dos empreendimentos.

XIII Teia Cabocla: Desenvolvimento Territorial e Desafios da Juventude

27 de novembro de 2013 por Adriane Gama

13 teia cabocla Beta 1.0

Salve colaboradores digitais, repórteres comunitários e lideranças juvenis das comunidades ribeirinhas! Está chegando a hora do grande encontro anual da Rede Mocoronga de Comunicação Popular, a XIII Teia Cabocla. Com o tema “Desenvolvimento Territorial e Desafios da Juventude”, o evento acontecerá nos dias 5, 6, 7 de dezembro, na Chácara Roberto Magalhães, na BR-163, km 7, no bairro Cambuquira.

A Teia Cabocla, neste ano, irá discutir sobre os principais desafios e oportunidades para a vida dos jovens nas regiões Resex Tapajós-Arapiuns, Flona Tapajós e Assentamentos. Assuntos como trabalho e renda, educação, acesso à informação, direitos infanto-juvenis, participação comunitária, meio ambiente e políticas públicas, serão debatidos por um público de aproximadamente 100 jovens comunicadores, representantes das Rádios, Telecentros, Jornais e Blogs das comunidades, do Programa Floresta Ativa e do Pólo 3G.

A programação desta Teia Cabocla terá múltiplas ações colaborativas como: dinâmicas, trabalhos em grupos, participação das lideranças da Tapajoara, debate sobre ativismo, oficinas criativas, Circo Mocorongo e o festival de vídeos Mocoroscar. A cobertura completa do evento será realizada pelos próprios repórteres comunitários através das diversas mídias da Rede Mocoronga, como TV, blog e rádio com transmissão FM.

Seguindo a metodologia do encontro, cada participante trará algum objeto, artesanato ou publicação que retrate o perfil da juventude da sua comunidade, compartilhando assim, o passado, o presente e os desejos para o futuro. Esses materiais serão usados na apresentação das comunidades durante o evento.

Fique ligado, você jovem comunitário que participará da XIII Teia Cabocla, nas dicas importantes deste encontro:

  • Lembre-se de trazer seus documentos pessoais (RG e CPF) e solicitar ao comandante, antes de sair da embarcação, os comprovantes das passagens de ida e volta para o reembolso de passagens.

  • No dia 05 (quinta) às 11 horas da manhã, haverá dois ônibus fretados para transportar os participantes. Para os jovens do Rio Tapajós o ônibus sairá da Praça São Raimundo Nonato e para os do Arapiuns, o ônibus sairá do Mercadão 2000. Na volta, dia 8 de dezembro, os ônibus retornarão com os participantes para os mesmos locais.

  • Para as comunidades que tem Telecentro ou integram o Pólo 3G, é importante trazer um notebook para registrar as atividades do encontro e replicá-las nas suas comunidades. (Faça a reunião o oficialize a vinda desse equipamento e responsabilize-se por ele)

  • Fique atento às informações do programa Rede Mocoronga, na Rádio Rural, neste sábado, das 10 às 11h e no domingo, das 4 às 5h da manhã.

  • Para maiores esclarecimentos ou dúvidas, entre em contato com: Elis Lucien (9158-7800), Adriane Gama (3067-8023) ou PSA (3067-8024)

Então, juventude ribeirinha! Aproveite esse tempo, faça uma reunião em sua comunidade e venha balançar essa Rede!!!