Copa Floresta Ativa – Fase de Grupo Anumã

5 de maio de 2014 por Gabriel Abreu

Através do Programa Floresta Ativa, o Projeto Saúde & Alegria (PSA) tem apoiado as comunidades da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns em diversas ações que ajudem na renda, na alimentação e na conservação do meio ambiente – viveiros para reposição florestal e sistemas agro-florestais; extração de óleos; ecoturismo de base comunitária; artesanatos e Centro Experimental de Permacultura.

Em parceria com o ICMBio e a Tapajoara (Federação das comunidades da Resex), o desafio é promover inclusão social a partir da produção sustentável – um passo seguinte e que vai além de programas como o Bolsa-Família.

São oportunidades de empreendimentos que se abrem, em articulação com projetos pedagógicos voltados para os direitos das crianças e adolescentes; e também pelo encontro de gerações, em que lideranças antigas preparam as novas na condução do futuro da Reserva Extrativista.

E aproveitando o ano esportivo, organizamos em 2014 a Copa Floresta Ativa, envolvendo as 74 localidades da Resex. São duas competições simultâneas e integradas: uma é o torneio de futebol (masculino e feminino), e a outra é o “Festival de Artes, Cultura, Educação e Comunidades”, com modalidades que incluem teatro, música, paródia, cartaz, mascote, foto, vídeo e reportagem, inspiradas no lema “Juventude e Comunidades juntas pela Floresta Ativa!”

Entre abril e maio, ocorre a “Fase de Grupos”. São 4 eventos sub-regionais, um em cada comunidade-sede, onde participam as localidades do entorno que compõem o Grupo. Sempre nos finais de semana, com seminários e oficinas nas sextas, avaliando as ações do Floresta Ativa, planejando os próximos passos, debatendo o território, a luta dos povos tradicionais e caminhos para fortalecer suas Organizações.

Os sábados são reservados para as competições, com cobertura feita pelos repórteres da Rede Mocoronga. No inicio da noite tem o Gran Circo do Saúde & Alegria, com as premiações dos classificados do Grupo. Uma grande festa, animada pelas bandas comunitárias, encerra a programação pela madrugada adentro.

Fase de Grupos:
– Sede Anumã: 4-5/Abril
– Sede Surucuá: 25-26/Abril
– Sede São Pedro: 9-10/Maio
– Sede Boim: 30-31/Maio

Os classificados nas modalidades esportivas e educativas durante estes 4 eventos sub-regionais, além de troféus e medalhas, ganham o passaporte para a grande final, prevista para agosto, durante o Encontro Geral de todas as comunidades de Resex.

Copas que misturam esporte com educação é uma tradição do PSA. Esta é a quinta Copa que organizamos, sempre com um tema central em cada edição. Desta vez, uma grande mobilização das comunidades pela floresta em pé!

Encontros de arte-educação mobilizam crianças ribeirinhas

20 de fevereiro de 2014 por Adriane Gama

circo_cri_rola

Criança da roça que está com a razão, com direito à saúde e à educação…”

Ao ritmo contagiante do tema da sessão “As Aventuras do Teca e Zeca, do programa de rádio da Rede Mocoronga, vamos apresentar o balanço geral das primeiras atividades sócio-educativas do Projeto Saúde e Alegria realizadas nos meses de janeiro e fevereiro, em conjunto com as Oficinas de Apresentação do ATER (Assistência Técnica e Extensão Rural) – Incra.

Ao total, estas atividades foram realizadas em 9 comunidades-pólos do Lote 10 e 11(Parauá, Surucuá, Vila do Amorim, Cabeceira do Amorim, Suruacá, Ukena, Capixauã, Pedra Branca e Maripá), os quais estão sob responsabilidade do PSA. Com uma metodologia participativa e lúdica, aconteceram várias dinâmicas e jogos interativos e é claro, as apresentações a parte das crianças no Circo Mocoronga. Tudo de forma bem divertida para se conhecer melhor os direitos fundamentais das crianças e dos adolescentes.

E por falar nelas, tivemos a participação, nestes encontros, de quase 400 crianças ribeirinhas. Conseguimos mobilizar 40 educadores sociais, entre jovens e professores das comunidades, e além do apoio de parceiros da hora, como podemos destacar a arte educadora Marisa Correa, Júlio César (Parauá), Léo Celli – SP e Bruna Thainá, do Coletivo Puraqué.

Aproveitamos esse momento, para agradecer a todas as comunidades ribeirinhas participantes, pelo carinho e atenção com suas crianças e adolescentes. E convidar mais educadores comunitários, os famosos agentes multiplicadores do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), para fortalecer essa rede de proteção especial aos meninos e meninas ribeirinhas. Até os próximos encontros!

Crianças ribeirinhas fazendo arte comunitária

29 de janeiro de 2014 por Adriane Gama

crianca_circoIniciaram-se nos dias 17 a 19 de janeiro, as atividades do ATER (Assistência Técnica e Extensão Rural) do Incra realizadas pelo Projeto Saúde e Alegria nas comunidades ribeirinhas da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns. Nesta viagem, três comunidades pólos do Lote 11 sediaram este evento com a participação das comunidades do entorno, como Capixauã (Vista Alegre e Novo Progresso), Pedra Branca (Solimões) e Maripá (Vila Franca, Santi, Campo Grande, Carão, Curipatá). Paralelo às oficinas de apresentações, uma equipe de arte-educadoras estiveram acompanhando esta primeira ação com um trabalho direcionado para o público infanto-juvenil.

Enquanto os adultos estavam atentos às informações sobre o ATER, as arte-educadoras Adriane Gama e Elis Lucien conduziram a criançada para as áreas livres das escolas, com a participação de 120 crianças ribeirinhas, entre 3 a 16 anos, com o apoio dos diretores, colaboradores e lideranças locais.

Nos três encontros intercomunitários, as atividades sócio-educativas aconteceram durante o dia, com várias dinâmicas interativas e metodologia participativa e lúdica com o intuito de estimular a percepção e pertencimento local da criança. Na Sessão Desenho Livre com o tema gerador Meio ambiente, por exemplo, após a roda de conversa sobre este assunto, cada participante desenhava sua comunidade, com um olhar voltado para o seu território e elementos baseados no contexto da sua realidade social e familiar.

Leia o resto desse post »