Chamado da Floresta traz governo para falar com extrativistas e tem protesto indígena

3 de novembro de 2015 por Patrícia Kalil

As reivindicações dos povos da floresta no Brasil e a importância do desenvolvimento sustentável na Amazônia

“No começo pensei que estivesse lutando para salvar seringueiras, depois pensei que estava lutando para salvar a Floresta Amazônica. Agora, percebo que estou lutando pela humanidade”. — Chico Mendes

Patrícia Kalil
— especial para Rede Mocoronga

fimdatarde1Embarcações que levaram participantes para o III Chamado da Floresta no pontão de areia da comunidade de São Pedro, na Resex Tapajós-Arapiuns.

“Como movimento extrativista, não queremos marchar até Brasília, queremos que Brasília marche até a floresta. O que os olhos veem, o coração sente” — Joaquim Belo, presidente CNS

A oito horas de barco de Santarém, o III CHAMADO DA FLORESTA reuniu cerca de 2 mil lideranças amazônicas, além da juventude ribeirinha, para debater reivindicações sobre as condições extrativistas e a importância do fortalecimento e resistência das famílias que vivem na floresta para a conservação do meio-ambiente.

O encontro organizado pelo Conselho Nacional de Populações Extrativistas (CNS) aconteceu dentro de uma das maiores unidades de conservação do país, a Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, na Amazônia paraense, representando o grito de 1 milhão de brasileiros e cerca de 150 mil famílias extrativistas que pedem pelo reconhecimento de assentamentos como áreas protegidas, com plano de manejo florestal comunitário e familiar, políticas de geração de renda com crédito para uso sustentável, processamento e distribuição de diversos produtos amazônicos, políticas de educação técnica-profissionalizante e superior voltada para a floresta, certificação especial, além das demandas básicas para infraestrutura de abastecimento, esgoto, coleta de lixo, energia e comunicação/internet.

Diversos políticos estavam presentes, entre eles prefeitos de municípios do oeste do Pará, além de secretários e técnicos de cinco ministérios e ministros.

ministraterezacampelloMinistra Tereza Campello do Ministério do Desenvolvimento Social na comunidade de São Pedro, da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, durante o evento

“Meu primeiro recado é que não aceitamos hidrelétricas no Tapajós. Nós queremos nossa floresta em pé e embaixo dessa floresta existe gente” — Auricelia Arapiun, líder do Movimento Indígena na mesa com ministros

Tapando os ouvidos ao recado dado pelas lideranças indígenas presentes no encontro, Tereza Campello, ministra do Desenvolvimento Social (MDS), abriu seu discurso dizendo que os povos da floresta não podem ser tratados como invisíveis e que essa é uma luta histórica hoje reconhecida pelo governo. Como o mesmo governo que ignora consecutivos desastres socioambientais com a construção de hidrelétricas na Amazônia (um, dois, três, quatro…) se diz atento às demandas desses povos que nascem, crescem e vivem há séculos com a cultura da floresta? Como o mesmo governo que impulsiona e dá força à mineração, ao agronegócio e à agropecuária na Amazônia se diz ao lado do pequeno produtor, da biodiversidade e do desenvolvimento sustentável?

Sem dar luz a assuntos polêmicos ou falhas do governo na gestão e proteção dos recursos naturais e florestais, a ministra falou sobre a importância estratégica do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e de incentivo à agricultura familiar nas reservas extrativistas.

Na mesma mesa, a secretaria executiva do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Maria Fernanda Coelho, falou sobre a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) na Amazônia e recursos federais para agroindustrialização de negócios de geração de renda na região.

alexandrevonNo microfone, Alexandre Von (PSDB), prefeito de Santarém. À esquerda, o Secretário de Desenvolvimento Rural Sustentável e Extrativismo do Ministério do Meio Ambiente, Carlos Guedes. À direita, o presidente da CNS, Joaquim Belo, a vice-presidente do CNS Edel Moraes e o presidente do ICMBio, Claudio Maretti.

plateiaPrefeita Dilma Serrão (PT) no Chamado da Floresta. Outros prefeitos também estavam no público.

PEC215 e Hidrelétricas no Tapajós

coverCacique Emanoel Abraão da Aldeia Muratuba, durante III Encontro da Floresta

“Temos um sol maravilhoso, não precisamos de barragem. Chega de matança dos povos indígenas e lideranças dos povos da floresta. O governo não faz nada para amenizar a situação da gente” — Auricelia Arapiun, líder do Movimento Indígena

O encontro começou um dia depois da bancada ruralista conseguir a primeira aprovação da PEC215 na Câmara de Deputados para alterar a Constituição e dar ao Congresso a atribuição de definir Terras Indígenas, Unidades de Conservação e quilombos, além de permitir empreendimentos econômicos nessas áreas.

As lideranças indígenas presentes no encontro manifestaram-se para pedir reconhecimento e demarcação de terras, falar em nome dos Guarani-Kaiowá do Mato Grosso do Sul, dos Guajajara e Awá-Guajá do Maranhão, dos Araweté, Assurini, Kayapó, Kraô, Apinajés, Gavião, Munduruku, Arara, Xipaya, Xicrin, Juruna, Guarani, Tupinambá, Tembé, Ka’apor, Tupinambá, Tapajós, Arapyun, Maytapeí, Cumaruara e Karajas, representando populações indígenas que sofrem com a tragédia de Belo Monte e outras populações ameaçadas por projetos hidrelétricos na Amazônia.

Sem citar a questão indígena, Cláudio Maretti, presidente do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), defendeu a importância da criação das reservas extrativistas de uso sustentável no país, mas lembrou que a gestão delas só é possível com a participação das famílias que vivem em cada uma delas.

indigenas1Contra a PEC215 e a construção de hidrelétricas no Tapajós

indigenas

Contra a PEC215 e a construção de hidrelétricas no Tapajós

ONGs atendem ao chamado

Diversas ongs estavam presentes no evento, entre elas o Projeto Saúde e Alegria (PSA), que tem forte atuação na Resex Tapajós-Arapiuns. Além da presença da trupe do circo, jovens da rede de jornalismo comunitário da Rede Mocoronga fizeram a cobertura em vídeo e rádio do evento, que foi ao ar na Rádio Rural AM (http://www.radioruraldesantarem.com.br/). Na página do Facebook do projeto, também é possível acompanhar vídeos feitos pelos jovens da comunidade: https://www.facebook.com/saudeealegria/?fref=ts.

grancircoA equipe de arte educadores e circo do Projeto Saúde e Alegria, que tem mais de grande atuação na Reserva Tapajós-Arapiuns

Grupos de trabalho durante III Chamado


professoresOs professores do Sistema Modular de Ensino Médio Ilana Melo de Souza e Eder Clay Araújo no evento

Durante a primeira tarde do encontro, os participantes se dividiram em grupos de trabalho temáticos para levantar propostas que serão enviadas ao governo federal na próxima semana. Acompanhe abaixo um resumo das propostas debatidas em cada grupo de trabalho.

Políticas agrárias

Os participantes levantaram a necessidade de regularização fundiária imediata das unidades de conservação e reversas extrativistas para combater a violência no campo; o encaminhamento dos processos de criação de novas reservas que estão praticamente concluídas no ICMBio e INCRA; o reconhecimento de territórios tradicionalmente ocupados; a agilização de planos de manejos comunitários e elaboração dos planos de uso; a fiscalização para evitar invasão e proteção dos povos da floresta ameaçados por fazendeiros e madeireiros; a promoção de um programa de incentivo ao ecoturismo de base comunitária em unidades de conservação de uso sustentável.

Geração de Renda

Os participantes pediram a criação urgente de políticas públicas para a produção extrativista em vez de incluir a população extrativista dentro da políticas para a agricultura familiar. Também foi levantada a necessidade de uso de incentivo fiscal e possibilidade de um sistema de registro e monitoramento da produção pelas próprias populações extrativistas que possa servir como certificação.

Educação

Os professores do Sistema Modular de Ensino Médio fizeram severas críticas à infraestrutura pública para o ensino de jovens nas reservas, dizendo que falta a parceria das prefeituras para sala de aulas adequadas no ensino médio. Também foram pedidos a inclusão de educação ambiental como matéria obrigatória no ensino básico; um modelo de “pronatec extrativista” para as populações de reservas; a realização de vestibulares e exames nacionais adaptados para os conhecimentos da floresta de modo a valorizar e incluir a juventude ribeirinha no ensino superior; extensão de polós universitários em reservas evitando que o jovem deixe sua comunidade e vá para cidade e implantação de telecentros comunitários que funcionem e com banda larga em todas as comunidades.

Gestão de unidades de conservação

Além da reivindicação pela criação de conselhos deliberativos em todas as unidades, extrativistas pediram participação das comunidades na elaboração dos planos de manejo e gestão. Os participantes exigiram mais fiscalização do ICMbio para combater a ação de madeireiros, grilheiros e pistoleiros, principalmente frente às ameaças de morte sofridas por líderes extrativistas e indígenas. Listaram também a necessiadade de um canal de denúncias da exploração de madeira ilegal através de rádio-telefone-internet.


Salve São Pedroabre2

Acompanhar todas as atividades exigiu dos participantes coragem para enfrentar o sol e a distância das caminhadas de ponta a ponta do vilarejo para ir ao galpão de eventos à área com embarcações-dormitórios.

O corre-corre de milhares de pessoas chamava atenção. Os moradores de São Pedro receberam com alegria todos os visitantes e abriram as portas de suas casas para quem precisasse de ajuda.

O questão do lixo em Santarém

Para receber mais de 2 mil pessoas, a prefeitura de Santarém enviou uma equipe de coleta de lixo para a comunidade. Mesmo assim, faltou orientação sobre o local adequado para lavar as lixeiras longe dos banhistas participantes.

Questionado no fim do evento sobre o problema de coleta de lixo em áreas de proteção ambiental, o prefeito Alexandre Von disse que precisa de mais trabalho na área e que sabe do problema do lixo de todas os distritos e comunidades de Santarém.

lixeiros

escovandodentes

No fim da tarde, os lixeiros da prefeitura de Santarém deslocados para o evento lavavam as lixeiras no rio em que os visitantes se banhavam…

Telecentro de São Pedro realiza Oficinas de Informática

25 de setembro de 2013 por Benezildo Costa

Hoje, 24 de setembro, iniciou-se a partir das 8:00 hrs da manhã,

a terceira Mini-Oficina de Informática Comunitária aqui em São Pedro, realizada pelo Telecentro Cultural Profª Maria Braga, da mesma comunidade.

O objetivo da mesma é levar aos comunitários, o conhecimento da Informática básica, já que hoje, o mundo moderno está voltado as tecnologias que fazem parte dele. E foi pensando nisso que a coordenação do Telecentro Cultural Profª Maria Braga decidiu realizar Mini-Oficinas, e essa já é a terceira.

 

 

Participam da mesma 10 comunitários, incluindo crianças, jovens e adultos, tendo como palestrantes o jovem Benezildo Costa Da Silva, e os três novos monitores do telecentro: Cláucia Lopes, Edilene Pereira e Junior Sousa. A Mini-Oficina prossegue até a próxima sexta-feira(27), quando se encerra com uma Noite Cultural, onde os alunos apresentarão, através de paródias, teatro, poesias, aquilo que aprenderam na oficina.

 

 

 

Jovem desaparecido foi encontrado

17 de dezembro de 2012 por Benezildo Costa


Foi encontrado por volta das 4:00, da tarde deste domingo (16/12/2012) , o jovem Adalton Fonseca, de Nova Vista- Rio Arapiuns, que, desde a manhã última terça-feira (11/12) estava perdido nas mata após ter saído para caçar juntamente com três amigos, que em questão de poucos minutos se separou do grupo e acabou  perdendo o rumo. Em seguida seus amigos  preocupados  por conta da demora do companheiro, resolveram  procurá-lo.  Sem conseguirem nenhuma pista de onde ele poderia estar,  voltaram para a comunidade para avisar à família e logo  reuniram varias equipes para  procurá-lo.

Não conseguindo encontrá-lo, os comunitários de Nova Vista decidiram chamar o corpo de bombeiro que chegaram na comunidade na quarta-feira, e deram continuidade na  busca pelo rapaz junto com os comunitários  que após seis dias de busca  conseguiram  encontrá-lo com vida. O jovem teve ferimentos nos pés  mas passa bem  e já está em casa com sua família.

 

E a comunidade de São Pedro mais uma vez mostrou solidariedade atavés da Rádio Comunitária, ao fazer uma campanha  de arrecadação de alimentos para os comunitários de Nova Vista, que acompanharam a busca  do jovem. Dessa forma foi  arrecadado seis cestas básicas de alimento que já foi entregue ás lideranças para fazer a distribuição à essas famílias, sendo assim a Rádio Comunitária também participou desse grande momento.

 

Oficina de Blog e Redes Sociais na comunidade São Pedro

24 de maio de 2012 por Benezildo Costa

Aconteceu uma Oficina no dia 22 de maio de dois mil e doze, no Telecentro Maria Braga  da comunidade São Pedro  no Rio Arapiuns. Foi realizada uma oficina com o tema blog e redes sociais. A oficina iniciou às dez horas da manhã com o tema: noções básicas de informática, sendo assim dando continuidade a tarde foi abordado o tema: O que é Blog? O que é Internet? Porquê Inclusão Digital? O que faz um Telecentro?.

A oficina teve como acessor Gabriel Abreu do PSA (Projeto Saúde e Alegria), que é responsavél pela Inclusão Digital.

Objetivo da oficina foi fazer com que a comunidade possa conhecer como utilizar seus equipamentos tecnológicos, através das redes sociais,  blogs e outras possibilidade. E, através  das informações, a comunidade possa ser desenvolvida e conhecida mundialmente.

Estiveram participando da oficina nove jovens que fazem parte do Telecentro e Rádio comunitária.

O Grupo Bora Juntos e Pianix circo show visitam o Rio Arapiuns

21 de maio de 2012 por Benezildo Costa

O grupo Bora Juntos e Pianix Circo show visitaram nossas comunidades do Rio Arapiuns com os integrantes : Ludmila Benquerer, Vicente Junior, Mirabelle Perry, Susane, Meyer, Mai Traja, Loreta Chinita, Ana luisa, que formam o grupo. Os integrantes moram atualmente em Alter do Chão e são do Brasil (Minas Gerais ) e de outras partes do mundo França, Alemanha, Grécia, Macedônia e Peru.

Foram apresentados nas comunidades de São Pedro e em Nova Vista um cortejo circense-musical, os espetáculos  “segredo da pilha que acabou” e “O que o primo Antônio não sabe ” e uma festa circense com artista do grupo (palhaços, músicos, malabaristas) e artistas locais.

O grupo tem como objetivo levar arte e educação ambiental para o público das comunidades e dessa forma conscientizar a preservação da floresta. Muito satisfeitos deixaram seus agradacimentos carinhosos as comunidades.

 

Telecentro Maria Braga em destaque

7 de maio de 2012 por Benezildo Costa

Já é neste dia treze de maio de dois mil e doze que o Telecentro da comunidade São Pedro promoverá uma promoção beneficiente ao mesmo já que está em fase de ampliação.

A programação iniciará as nove horas da manhã na quadra poliesportiva da comunidade

Programação torneio masculino inscrição três reais com direito dois jogos.

1° Colocado uma cx de cerveja

2° colocado uma cx de cerveja

Torneio de taco, inscrição um 1,00 real  revanche 50,00.

1° colocado uma torta

2° colocado 2lts de refrigerante

Torneio de dominó, inscrição 3,00 R$ com direito a 2 jogos

1° colocado 1 cx de cerveja

2° um frango

E ainda terá um bingo no valor de 1,00 R$ após o torneio

1° colocado 2lts de refrigerante

2° Um cordão de aço

3° Uma cesta básica

Venha! participar do domingo alegre do Telencentro Maria Braga vai ser legal! Vamos juntos de mãos dadas buscar novos horizontes.

Obs: A animação ficará por conta da Rádio comunitária São Pedro.

São Pedro, a capital do Arapiuns

2 de maio de 2012 por Benezildo Costa


São Pedro é uma das comunidades mais desenvolvidas do rio Arapiuns. Nela se concentram cerca de cento e quarenta famílias, sua área tem mas de mil metros e sua organização populacional é bem grande.  Ainda existe dois meios de comunicação que são muito utilizados, uma Rádio comunitária e um Telecentro. São Pedro tem um povo hospitaleiro e lutador em busca do caminho para ver a vida melhorar.   É uma comunidade encantadora para quem ver se encanta com belezas naturais, como por exemplo: As praias no verão de águas cristalinas que dá vontade de se banhar e isso sem falar da  nossa cultura. Venha conhecer São Pedro que fica do lado esquerdo do Rio Arapiuns e apenas a seis horas de barco de Santarém. Venha! Você não vai se arrepender. Conheça as belezas da nossa região.

 

 

Rádio de São Pedro em destaque

19 de novembro de 2011 por Benezildo Costa



A Rádio comunitária São Pedro é um dos meios de comunicação mais utilizados para dar informação ao povo da comunidade. A Rádio comunitária São Pedro tem 6 anos na comunidade e já teve 3 coordenadores. Hoje a Rádio tem com esforço dessas lideranças, já tem pessoas capacitadas como jovens repórteres, locutores e técnicos que são multiplicadores na comunidade e tem como seu grande parceiro o Telecentro Maria Braga. Ambos lutam para melhoria da comunidade e de seus objetivos e com essa corrente de união acreditamos que só assim conseguimos realizar nossos sonhos.

Projeto Arca das Letras

27 de agosto de 2011 por Vanessa Rafaela

O “Arca das Letras” chegou na comunidade de São Pedro no mês de junho de 2011. É um projeto do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) criado em 2003, visando incentivar a leitura nas comunidades rurais.

Nossa comunidade foi contemplada com um móvel-biblioteca, contendo um acervo de 127 livros, dividido em quatro categorias: literatura infantil, literatura para jovens e adultos, livros didáticos e de pesquisa e livros técnicos.

A entrega foi feita no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santarém, no dia 27 de abril de 2011, a duas pessoas de cada comunidade beneficiada com o projeto, que no mesmo dia receberam capacitação e o certificado de agentes de leitura, ficando então responsáveis de fazer os empréstimos dos livros, repassar o que aprenderam para voluntários interessados, e principalmente, fazer da leitura um hábito do cotidiano da comunidade.

Criança assinando a ficha de empréstimo de livros

Leia o resto desse post »

Adivinha quem chegou em São Pedro?

4 de agosto de 2011 por Paulo Lima

Num dia no final de julho de 2011 na comunidade de São Pedro, no Rio Arapiuns, em Santarém, só se falava nisso: “Quem chegou?” Uns respondiam: “A Francine? A Eliete? A Marinete?”. E o suspense continuava.

Era um dia quente e ao mesmo tempo muito bonito e havia grande agitação no espaço que sedia o Telecentro Cultura e a Rádio Comunitária São Pedro. Parece que estava lá o pessoal do Saúde & Alegria. Mas será que eles trouxeram a Francinete? A Eliete? A Marinete?

Não, a agitação toda foi porque naquele dia quem chegou mesmo foi a Internet na comunidade!

São Pedro está a cerca de dez horas num barco de linha de Santarém, não existe estrada até lá. Naquele dia também os telefones públicos e residenciais da comunidade não estavam funcionando mas logo a juventude começou começou a criar seus perfis nas redes sociais e a boa notícia estava disponível para toda a Internet.

Esse é só o começo do uso da Internet e das redes sociais pela Comunidade de São Pedro que é parte da Rede Mocoronga de Comunicação Popular com atividades da Rádio Comunitária, Jornal comunitário e também na elaboração de vídeos participativos. Nos próximos dias teremos mais um blog na Rede Mocoronga onde você poderá acompanhar a vida cultural, os costumes e as novidades do belo Rio Arapiuns.

E o Bob Barbosa, também conhecido como Bob Bumerangue, registrou e editou o vídeo sobre tudo o que aconteceu naquele dia em que a Intenet chegou no São Pedro.

O Telecentro de São Pedro tem apoio do Programa Telecentros.Br e a atividade cultura digital do Projeto Saúde & Alegria é apoiada pela Fundação Telefônica /Vivo