Professores são capacitados para atuar no Projeto Territórios de Aprendizagem

1 de agosto de 2012 por Gabriel Abreu

O CEAPS/ Projeto Saúde e Alegria em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Santarem, com apoio da Fundação Carlos Chagas, estarão realizando nos dias 01 e 02 de agosto deste ano de 2012, na Escola do Parque, o 1o Encontro de formação dos professores do Projeto “Escolas e Comunidades da Floresta: Territórios de Aprendizagem”.
Trata-se de um projeto que começa a ser desenvolvido como uma experiência piloto em 05 escolas do campo no município de Santarém, 04 delas na Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns e a Escola Irmã Dorothy, primeira escola do campo de tempo integral, buscando construir referências pedagógicas que melhorem a qualidade da educação do campo no contexto amazônico, diminuindo o distanciamento entre o ensino formal e a realidade sociocultural e ambiental dos alunos.  O Projeto atuará com base nos eixos de educação ambiental, identidade cultural e territorialidade, buscando incidir na melhoria do processo de ensino-aprendizagem.

Partindo da necessidade da educação do campo considerar o contexto socioambiental das comunidades, as lutas sociais em defesa da floresta e suas identidades culturais, o programa compreende a escola dentro do conceito de território – espaço marcado pelas características geográficas e pelas relações humanas – que ajude os sujeitos interpretarem sua realidade. No caso, propomos a valorização do papel da escola no território da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, que demanda processos educativos capazes que fortalecer o senso de territorialidade de sua população, especialmente das novas gerações, bem como valorizar suas dimensões ambientais, geográficas e suas lutas históricas, sua cultura e o conhecimento de seu povo sobre o lugar onde vive.
Serão construídos arranjos educativos em que escolas e comunidades se integrem no mapeamento participativo de seu território, na identificação e valorização dos conhecimentos sobre a cultura tradicional, a história local, o bom manejo dos recursos naturais. A partir da capacitação dos professores, esses conhecimentos serão utilizados em abordagens pedagógicas inovadoras, na produção de materiais didáticos regionalizados para o ensino-aprendizagem nas escolas, visando alcançar uma aprendizagem mais significativa, que se reflita na melhoria dos indicadores de sucesso escolar.

Texto: @fabinhopena

Deixe um comentário