Atividade educativa em Maripá e aldeia Solimões leva conhecimento sobre direitos e diversão

29 de janeiro de 2019 por Samela Bonfim

Oficina despertou interesse dos moradores sobre os cinco direitos fundamentais da criança e adolescente e impulsionou a participação deles nas ações comunitárias por uma sociedade melhor

A turma ficou super animada com o conteúdo das oficinas socioeducativas promovidas na sexta-feira (25). De forma descontraída, um assunto sério para o conhecimento de todos: o acesso aos direitos preconizados no Estatuto da Criança e Adolescente, um deles em especial – o direito a convivência familiar e comunitária.

Baseado nessa premissa os participantes foram instigados a participar de uma roda de conversa para refletir sobre as atividades que desenvolvem nas comunidades de origem e de que forma isso pode ajudar na construção de um cidadão participativo e de uma sociedade melhor.

A arte educadora Elis Lucien destacou a dinâmica realizada nas duas comunidades: “eles mapearam problemas encontrados, como a falta de envolvimento de jovens nos movimentos, falta de formação para ju

ventude e lideranças, e que precisam correr atrás dessa formação. Estudamos o ECA e escolhemos para trabalhar nessas regiões com dinâmicas da roda de conversa, com elaboração de perguntas que nortearam o diálogo: O que é o movimento comunitário? Quais os movimentos que existem na sua comunidade? Você gostaria de participar de algum?” – explicou.

Ao fim da dinâmica, eles participaram de uma animada apresentação de circo e reforçaram o compromisso de atuar nas próprias comunidades para o bem coletivo.

A atividade “é parte das ações do projeto Rede Juventude Floresta Ativa que tem por objetivo contribuir para uma melhoria das condições de vida e para um desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens de comunidades da Amazônia” disse Fábio Pena, da coordenação de educação do PSA.

 

 

Deixe um comentário

*