Produção de mel, mudas florestais, óleos, sementes e ecoturismo são apostas da Flona e Resex para 2019

12 de novembro de 2018 por Samela Bonfim

‘Seminário Floresta Ativa Tapajós’ realizado no dia 19 de novembro na comunidade Anumã reunirá representantes dos principais pólos para promover balanço das atividades e discutir perspectiva para o próximo ano

Incentivar a cadeia produtiva sustentável e promover geração de renda por meio do manejo de óleos e sementes, mel, mudas florestais e ecoturismo comunitário são propostas do Projeto Saúde e Alegria com o apoio do Fundo Amazônia na região. Investir no processamento da cadeia produtiva do mel, construção de infraestrutura adequada é uma demanda do negócio para organizar e otimizar as iniciativas comunitárias.

Os projetos já são realizados nas comunidades que precisam consolidar cada vez mais estratégias para aumentar a renda familiar de maneira organizada e sustentável. “Um dos grandes desafios da Reserva Extrativista Tapajós Arapiuns e da Floresta Nacional do Tapajós é a geração de renda para as comunidades. Elas tem um grande potencial de recursos naturais que são pouco aproveitados para gerar uma nova economia em bases sustentáveis” – Explicou o coordenador de comunicação do PSA, Fábio Pena.

Os resultados dos trabalhos já desenvolvidos com o apoio de diversos parceiros institucionais do Saúde e Alegria, como a Fundação Konrad Adenauer, Funbio, Avina, Mott Foudation, Caritas Suiça, serão analisados durante o Seminário, que também lançará o Fórum de Gestão Participativa do projeto, que reunirá representações das comunidades, federação da Flona, movimentos indígenas, ONG’s e outros movimentos ligados aos temas do projeto. 

Com a perspectiva de construir novas formas de proteger o território e promover renda, os moradores dessas regiões vivem a expectativa de fortalecer a cadeia produtiva das mudas florestais com foco ao replantio, a partir da instalação de viveiros de espécies nativas da região. Outro forte potencial se concentra na produção de óleos e sementes para suprir a alta demanda da indústria cosmética. Atualmente, o mel que também tem grande potencial na região, necessita de uma maior organização para ter fluxo de mercado adequado.

Alvo de igual atenção é o turismo. Atrair atenção de visitantes às belezas da região continua sendo uma importante área de atuação para os comunitários.  “- O ecoturismo de base comunitária é uma coisa que a gente vem apoiando há algum tempo, mas que tem um grande potencial pra crescer na comunidade” – destaca Pena.

SERVIÇO

 

Quando? Segunda – 19/11

Onde? Comunidade Anumã

Deixe um comentário

*