O Vale do Tapajós

20 de julho de 2017 por Fábio Pena
Festival “Beiradão de Oportunidades” mobiliza jovens da Amazônia para o empreendedorismo, inovação e tecnologia
 

Entre 6 e 8 de julho, o Festival reuniu jovens e lideranças locais para ampliarem seus conhecimentos sobre empreendedorismo e negócios sociais. Após o evento, os participantes poderão se inscrever em um curso para desenvolver seus próprios projetos que ajudem a melhorar o pé de meia sem precisar sair de onde moram. E também a comunidade onde vivem.

Um dos principais desafios da juventude é a construção de seus projetos de vida. Em um cenário com poucas oportunidades de inclusão produtiva no mercado formal, mas ao mesmo tempo com muitas possibilidades para inovar, criar novas formas de geração de renda, a região do Tapajós, município de Santarém — PA, é desafiadora.

Para contribuir com esse desafio, o Projeto Saúde e Alegria é executor de um projeto de formação de empreendedores que incentiva, capacita e empodera jovens para que gerem e implementem — inclusive com acesso às tecnologias — novas soluções e oportunidades para a transformação de suas vidas e do seu entorno comunitário. O projeto é realizado em parceria com a Fundação Telefônica Vivo desde 2014, através do Programa Pense Grande, uma metodologia criada de forma colaborativa com organizações de outras regiões do pais, adaptada a cada contexto.

Mobilização: Beiradão de Oportunidades

Foto: Pedro Alcantara

Para envolver os jovens neste desafio, acontecem os Festivais “Beiradões de Oportunidades”. É uma forma de aproximá-los do repertório e do ambiente criativo que é empreender, permitindo despertar para novas possibilidades no mundo do trabalho. São realizadas dinâmicas, apresentadas experiências de empreendimentos, discutidas temáticas regionais e experiências com cultura digital. Os Festivais servem também como mobilizacao previa dos futuros alunos do curso de empreendedorismo, etapa seguinte do projeto.

“Os beiradões levam esse nome por ser à beira-rio que a economia ribeirinha se desenvolve. É onde compramos coisas, negociamos e ficamos sabendo das novidades. É um local de encontro e troca” — Paulo Lima, coordenador do projeto.

Neste ano já foram realizados 3 Festivais, o último deles entre os dias 6 a 8 de julho, no CEFA (Centro Experimental Floresta Ativa), reunindo mais de 100 jovens das comunidades da Reserva Extrativista Tapajós Arapiuns.

Formação: Curso de Empreendedorismo e Tecnologia

 

Após os Beiradões, jovens de 17 a 29 anos que estejam concluindo o ensino médio podem se inscrever para participar de um curso no qual são desenvolvidos seus potenciais de empreendedorismo, e apresentadas ferramentas para que possam implementar soluções para os desafios de suas comunidades. Este é o diferencial da formação, pois os incentiva a agir localmente criando possibilidades socioeconômicas e ambientais, de maneira justa e solidária e utilizando as tecnologias para o desenvolvimento comunitário.

Ao final do curso, os jovens saem com melhores habilidades e conhecimentos para o campo do empreendedorismo, com seus planos e projetos de vida melhor elaborados, e com possibilidades de apoio às suas iniciativas.

O Lab Mocorongo

Foto: Pedro Alcantara

Para contribuir com os processos formativos, o Projeto Saúde e Alegria mantém em Santarém o LabMocorongo, que é um espaço maker livre, que conta com impressora 3D, equipamentos de eletrônica, arduinos e vários componentes. Está à serviço de empreendimentos que viabilizem a prototipação de soluções que unam a tecnologia e criatividade para problemas da cidade e do campo na realidade Amazônica. Saiba mais do Lab Mocorongo aqui

Fundo Semente — apoio aos empreendimentos

Ao final do curso, os jovens elaboram propostas e as defendem diante de uma banca composta por especialistas (PITCH). As melhores ideias recebem um prêmio em forma de apoio financeiro e são acompanhadas até a sua implementação. Participam ainda de processos de incubação para iniciativas com poder de transformação social, em que recebem assessoria de especialistas para sua concretização.

“O que nós queremos é a revitalização dos processos econômicos na região do Tapajós liderados por esses jovens. Essa é uma estratégia de longo prazo, porque nós percebemos que hoje as comunidades vivem um momento de revitalização da sua produção, mas há um desnível entre aqueles que trabalham na agricultura familiar já com uma certa idade e os jovens projetando a sua vida, nem sempre vendo possibilidade de continuar a viver no local onde foram criados. O que nós estamos ofertando a eles é a possibilidade de elaborar uma visão empreendedora, com inovação, com projetos que tenham a característica de negócios sociais. Ou seja, um empreendimento que tenha um alto impacto na geração de geração de renda e melhoria de qualidade de vida nas suas comunidades” — Paulo Lima.

Alguns empreendimentos juvenis apoiados:

Embarcar

Clube Tipiti

GreenBaby

CocoricóCaipira

Deixe um comentário

*