Espírito Livre – uma revista digital escrita colaborativamente

1 de setembro de 2011 por Maickson Bhoim

Seguindo o conceito da comunidade Linux, João Fernando Costa Júnior, idealizou em 2008 uma revista livre, aberta à comunidade. Em 2009, essa ideia começou a ganhar “vida” e em formato PDF chegou aos leitores de forma inovadora.

A revista Espírito Livre (http://revista.espiritolivre.org), é uma publicação em formato digital, construída colaborativamente, por pessoas que abordam os mais diversos assuntos.

O princípio da revista é levar conteúdos de qualidade, com formato aberto de distribuição e publicações de entrevistas e artigos inéditos.

A revista possui 140 páginas com publicações mensais de personalidades nacionais e internacionais. Segundo, seu idealizador, alguns países já mostram interesse em possuir uma versão da revista em suas línguas, inclusive de edições passadas.

João Fernando Costa Júnior, seu editor-chefe, diagramador e responsável, defende que tudo na revista é amplamente discutido antes do fechamento de qualquer edição, afirma ainda que defende seis horas diárias de seu tempo para a revista, tudo para levar um ótimo trabalho ao leitor.

Por: Andria Monica, Maickson Santos e Rowdinely Oliveira

One Response to “Espírito Livre – uma revista digital escrita colaborativamente”

  1. Oji Says:

    Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeasPoemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeasPoemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas pomeasPoemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas pomeas Poemas pomeas pomeas pomeas

Deixe um comentário

*